clinica terapeutica monterey

<

>CLINICA TERAPEUTICA MONTEREY

(019)3871-2721  / (019) 7817-8014  (011) 9670 2923 (19)7817-9291 (19)8302-6060—

(ID14*1003759)  (ID14*1003760)   (ID14*100376)

E-mail: monterey@monterey.org.br

DEPENDENTES QUIMICOS FEMININOS/MASCULINOS

CLINICA TERAPEUTICA MONTEREY TRATAMENTOS E RECUPERAÇÃO DE DEPENDENTES QUIMICOS/ALCOOL E OUTRAS DROGAS…..http://tratamento feminino

(QUEM SOMOS)

A MONTEREY É UMA DAS PIONEIRAS ESPECIALIZADAS NO MODELO MINESSOTA PARA TRATAMENTOS DE DEPENDENTES QUIMICOS NO BRASIL.

TENDO APERFEIÇOADO A METODOLOGIA PARA COMUNIDADES TERAPEUTICAS-CENTROS TERAPEUTICOS-CLINICAS TERAPEUTICAS ETC….

Metodologias  e Propostas  Terapêuticas – para uma nova maneira de viver

 

Nossa proposta para recuperação e tratamentos de dependentes químicos femininos e masculinos.É fundamentada no  modelo MINESSOTA para tratamentos a dependentes quimicos de drogas psicoativas,tais como,ALCOOL,/COCAINA/CRACK/MACONHA/LSD.OXI.Jovens que fazem uso de maconha por seis anos ou mais têm o dobro de chances de sofrer episódios psicóticos, alucinações ou delírios do que quem nunca usou as drogas, afirmou estudo do Instituto Neurológico de Queensland, na Austrália.
O coordenador da pesquisa, John McGrath, estudou por 21 anos cerca de 3,8 mil pessoas nascidas entre 1981 e 1984 e acompanhou a frequência de uso da droga.
“Pessoas que experimentaram maconha tinham duas vezes mais chances de ter psicose não-afetiva, como esquizofrenia”, disse McGrath, ressaltando que, quanto maior é o tempo de uso, mais alto é o risco de ter psicose.
Os estudos também revelaram que os usuários do entorpecente tinham quatro vezes mais chances ter delírios.
De acordo com a Política Pública de Saúde de 2011, prevê a internação involuntária, inclusive para menores de idade, sem o consentimento do usuário, a pedido de parentes ou representantes legais.
Esse é um tema bastante polêmico, em que profissionais da área da saúde, organizações não governamentais, instituições públicas e familiares têm opiniões diferentes.
De acordo com o psiquiatra “A duração apropriada do tratamento para um indivíduo depende de seus problemas e necessidades. Pesquisas indicam melhora significativa sendo alcançada num período de 90 dias a dois anos de intervenção terapêutica (que vai de internação até tratamento ambulatorial).”

O tempo a experiência,e prática tem mostrado que o tratamento especializado se faz muito  nescessario nos tratamentos de dependentes quimicos . Essa experiência nos mostra que a cada internação que os dependentes químicos não obtem êxito no tratamento e recuperação aumenta a frustração e a desconfiança, tanto do dependente em si como dos familiares.A CLINICA e centro de Terapêutico Monte Rey com a experiência de profissionais que realmente se interessam pelo tratamento dos dependentes químicos .Ao mesmo tempo trabalhamos na formação de conselheiros  para melhorar a qualidade dos tratamentos.Para melhor atender os familiares que buscam nossa ajuda para os seus . Para tal contamos com a colaboração de uma equipe multidiciplinar especializada em dependência química formada por;Medico e  coordenadores terapêuticos, psicólogos, conselheiros/consultores no tratamento da dependência química (drogas/álcool/psicoativos em geral)

 

A nossa proposta é a reabilitação clinica dos dependentes químicos visando a reinserção do mesmo na sociedade, através de um período mínimo de 4 a 6 meses de trabalho de concientização e auto conhecimento. Neste trabalho os famíliares ocupam seu papel, isto é, o tratamento envolve a recuperação de dependentes químicos e familiares. O trabalho é dirigido ás questões clinicas emocionais, visando a recuperação biopsicosocial ,nos seguintes aspectos:terapêuticos clinicos mental, emocional e espiritual dos dependentes. O tratamento consiste também em pós tratamentos “ Prevençoes de Recaída”, terapia familiar, individual e em grupo, a recuperação e o abandono a dependência das drogas é possível e real, o nosso objetivo é conduzir os dependentes químicos a conscientização das ferramentas necessárias para desfrutar de uma vida que vale a pena viver.Com retorno aos familiares,e a sociedade se tornando uma pessoa produtiva novamente.Ficando livre de substancias que alterem a mente ou  o humor/ou seja drogas/maconha,haxixe/cocaína/álcool/crack/ oxi/anfetaminas/psicoativos.

PROPOSTAS TERAPEUTICAS

A proposta, em um segundo momento, tem como finalidade levar ao conhecimento da sociedade uma das maneiras ( comprovadamente a mais eficaz) de como nós, profissionais de tratamento a dependentes quimicos, poderemos juntamente com o apoio das comunidades clinicas nacionais contribuir oferecendo um tratamento especializado as pessoas dependentes do uso  compulsivo e obssesivo de DROGAS/MACONHA COCAINA/CRACK/ALCOOL/OXI/(psicoativos ) direta e  ou indiretamente, por esta doença.

Quem é um adicto?

O adicto é um homem ou mulher que não consegue viver consigo mesmo,e não consegue ter um convívio com os seus familiares (maridos, esposas, filhos, etc…) e também não consegue ter um convívio social,(trabalho,estudos, ou seja, é uma pessoa falida espiritualmente; não no aspecto religioso, mas no sentido da perda de princípios morais e éticos que são essenciais para a pessoas viverem sociedade. Convémlembrar que não queremos ou responsabilizar ninguém com nossas observações, e sim deixar clara nossa proposta clinica e metodologia para tratamento e recuperação.DE dependentes químicos usuários de drogas licitas tais como álcool ou ilícitas tais como cocaína /maconha/ crack lsd ,enfim Convém lembrar que o uso é consequência da inabilidade e que nem sempre a pessoa usa porque quer, e sim por não conseguir viver com seus sentimentos, pensamentos e comportamentos. A espiritualidade é observada com muito ênfase, já que observamos  a “ falência espiritual” com o uso de drogas. Ajudar os dependentes químicos sair dessa falência é fruto de habilidade e experiência em lidar com o campo mental e espiritual.

 

 

Modalidades de Tratamento – 12 Passos dos grupos anônimos, A.A. e N.A.

 

Há muito vem se estudando as causas clinicas dos efeitos das drogas no cérebro e corpo humano. O que faz com certos pessoas ultrapassem no consumo de Alcool e outras drogas e comportamentos? Algumas,destas questões parecem ser decorrentes de distúrbios neurológicos ou psiquiátricos e é nescessario uma melhor avaliação, medica.

 

A  Dependência Química é uma doença atualmente reconhecida pela O.M.S. (Organização Mundial da Saúde) sob o código CID 10 – F12. Um adicto na ativa causa problemas á aproximadamente 20 pessoas ao seu redor.

Uma pesquisa da Organização Mundial da Saúde mostra que 80% dos pacientes entre 15 e 60 anos de idade internados em hospitais psquiátricos são alcoolistas ou usuários de drogas, e 75%  dos menores considerados delinqüentes têm dependência ou são filhos de dependentes químicos.

Partindo desta premissa básica o tratamento/recuperação no Centro clinico e Terapêutico Monte Rey, difere de outros centros para recuperação e tratamentos. A doença é tratada do ponto de vista como uma necessidade de se reeducar, nos seguintes aspectos mental(mudar a maneira de pensar e agir) Espiritual,a nesc.de adquirir uma espiritualidade que seja pratica e não conflitante com a realidade de cada um e naõ seja vista como uma forma de se “punir”, pois o dependente químico já estava se punindo, se agredindo e agredindo outros por não conseguir deter o uso compulsivo e abusivo de substâncias psicoativas tais como: drogas, ALCOOL,CRACK,MACONHA ANFETAMINAS COCAINA OXI etc. Não é necessário se punir para se recuperar, e sim compreender e ajudar. O ponto fundamental a ser abordado no tratamento, é a consciência do uso compulsivo e obssesivo, da perda de valores morais e sociais causados também pela dependência química, sobretudo  o uso de drogas não é uma causa e sim uma conseqüência da doença que muitas vezes o próprio doente nega imaginando poder usar socialmente se comparando a outras pessoas. Nesse aspecto, também contamos com os 12 Passos de NARCOTICOS ANONIMOS. e ALCOOLICOS ANONIMOS., que são 11 exercícios espirituais para a sobriedade, seguindo o modelo Minessota de recuperação de dependentes químicos.

ASPECTOS COGNITIVOS

Nós da C.T. Monte Rey o ajudamos a perceber essa manipulação que muitas vezes acontece no inconsciente. (Bloqueios, traumas. Medos,vergonha,apatia, ansiedades, depressões, apegos) ; distorções da realidade que o torna as vezes, uma pessoa anti-social, desleixada com a família e a sociedade. Também não consegue levar adiante seus estudos e sonhos, trabalhos ou relacionamentos. Não há convívio social nenhum, tudo gira em torno do uso e da dependência. Estes são os problemas que estas  pessoas que chamamos dependente químico sofre sem se dar conta, pois estas estão sutilmente “ escondidas na doença da dependência química.

Como abordamos isso tudo de ma forma sutil  e com “empatia” oferecemos um plano terapêutico através dos 12passos dos narcóticos anônimos e alcoólicos anonimos para ajudar aõs dependentes químicos trabalhar suas limitações de olhar para si mesmo e se aceitar como pessoa, sem fazer uso de qualquer substância química que altere a mente de qualquer forma. Trabalhamos com O  Modelo MINESSOTA de tratamentos e técnicas que tem obtido os melhores resultados no Brasil e nos EUA e Europa. Com isso,os dependentes químicos começam a perceber que o mais importante não é só parar de usar e sim reformular sua maneira de pensar.Nossas abordagens terapêuticas o ajudam

Descobrir que o passado tem muita influência na sua maneira de pensar atual e o quanto ele necessita de ajuda esta é a fase mais produtiva do Tratamento: o auto conhecimento./Tendo o período minimo 4 a6 meses de

Tratamentos internos

A dependência química leva a desestrutura física, menta e social,       causando grandes sofrimentos para a família e para si próprio.

 

A nossa proposta é a reabilitação de dependentes químicos voluntario ou involuntario visando a reinserção do mesmo na sociedade, através de um período mínimo de 4ª6 meses de trabalho de conscientização e auto-conhecimento. Neste trabalho a família ocupa seu papel, isto é o tratamento envolve a recuperação do dependente químico e seu familiar. O trabalho é dirigido as questões emocionais,e espirituais . O tratamento consiste e pós tratamento ambulatorial se consiste em “prevenção de recaída”, terapia familiar, individual eem grupo. Arecuperação  da dependência química a conscientização das ferramentas necessárias para desfrutar de uma vida que vale a pena viver.

AMBULATORIAL PÓS TRATAMENTOS

A proposta tem como finalidade levar ao conhecimento da sociedade uma das maneiras (comprovadamente a mais eficaz) de como nós, profissionais podemos, juntamente com o apoio das comunidades clinicas nacionais e contribuir. Salientamos que hoje a nescessidade de um pós tratamento ambulatorial é muito maior tendo em vista como cresceu consumo de drogas e tem aparecido cada dia uma nova droga

CONSIDERAÇÔES  CLINICAS NOS TRATAMENTOS FEMININOS………

 

Historicamente, problemas relacionados ao consumo de álcool e outras são mais comuns em homens. com a entrada da mulher no mercado de trabalho e em profissões antes restritas aos homens, dentre outras mudanças no papel social da mulher, observamos que essa diferença vem diminuindo, especificamente entre os mais jovens. 

Este fato esta associado a queda da idade do inicio do uso de substancias, maior entre as mulheres. Alem disso, diferenças entre os sexos e efeitos específicos de álcool e outras drogas, problemas nas mulheres tem um forte impacto no diagnostico e tratamento. 

Este artigo, aborda as diferenças entre os sexos no que se refere a efeitos das drogas, problemas físicos e psiquiátricos associados ao seu uso,  o significado dessas diferenças para o tratamento serão observados. 

 

EFEITOS DO ÁLCOOL 
As mulheres desenvolvem concentrações sanguíneas mais elevadas do álcool, mesmo quando bebem uma mesma quantidade, mesmo observando as  diferenças de peso corporal. 

Essa sensibilidade baseia-se, em parte na maior proporção de gordura e menor proporção de água no corpo feminino. 

O álcool ingerido e diluído em uma menor proporção de água, resultando em um aumento de concentração. Alem disso, as mulheres exibem menor atividade uma enzima chamada álcool desidrogenase no estomago. 

 

Na fisiologia feminina, uma quantidade menor de álcool e metabolizada; conseqüentemente, uma quantidade maior de álcool é absorvida pelas mulheres quando comparada aos homens levando também um aumento de concentração sanguínea de álcool. 

Variações na organização do cérebro de homens e mulheres, particularmente a ação de substancias chamadas neuroesteroídes, também influenciam as diferenças entre os sexos em relação a resposta do organismo ao álcool. Esta maior vulnerabilidade explica, ao menos em parte, porque a dependência ao álcool e os problemas físicos associados progridem mais rápido em mulheres.

 

PROBLEMAS FÍSICOS DO ÁLCOOL 
A morbidade e a mortabilidade associadas ao uso de álcool encontra-se aumentadas em mulheres, que apresentam taxas mais elevadas de problemas do fígado (incluindo cirrose) que os homens. E provável que as ações dos hormônios femininos contribua para piorar o dano ao fígado causado pelo o álcool. Alem disso, pressão alta, anemia, desnutrição, hemorragias, ulceras gastrointestinais, problemas cardíacos e cognitivos avançam mais rápido em mulheres, o que significa que o tratamento deveria ser instituído o quanto antes. 

 

EFEITOS ESPECÍFICOS DO ÁLCOOL EM MULHERES 
O consumo abusivo de álcool está associado a diversos problemas de saúde:

  • Interrupção das menstruações
  • Tensão pré-menstrual
  • Problemas de fertilidade
  • Menopausa precoce

Durante a gestação, o abuso de álcool pode levar a síndrome fetal pelo álcool que é caracterizada pelo retardo mental grave e outros problemas congênitos, incluindo retardo de crescimento, anomalias faciais e cardíaca. Uma vez que a quantidade de álcool considerada segura durante a gestação ainda não se encontra determinada, a abstinência ainda e a melhor recomendação.  

 

PROBLEMAS PSIQUIÁTRICOS DO USO DO ÁLCOOL 
Mulheres alcoolistas, mais freqüentemente do que os homens alcoolistas têm risco aumentado de também apresentarem algum outro problema psiquiátrico (65 contra 44%). 

A identificação da existência ou não de um quadro de depressão é importante para o resultado do tratamento. Sabemos que um diagnóstico de depressão entre mulheres alcoolistas está geralmente associado a um melhor resultado do tratamento do alcoolismo, sendo que o oposto ocorre entre os homens.

Mulheres alcoolistas também apresentam mais freqüentemente transtornos alimentares como bulimia nervosa do que mulheres da população geral. O risco de desenvolver dependência de outras drogas também se encontra aumentado em mulheres alcoolistas, em comparação aos homens alcoolistas.

 

OUTRAS DROGAS 
No que se refere aos efeitos das outras drogas, poucos estudos foram feitos comparando os dois sexos, assim ainda não dispomos de dados definitivos. Há evidencias de que a droga como cocaína, a maconha, tranqüilizantes e estimulantes tenham efeitos mais prejudiciais em mulheres.

A maior parte do tratamento foi desenvolvida para os homens e somente depois, adaptados para as mulheres. No entanto, sabemos que as mulheres têm necessidades especiais, que estão resumidas no quadro seguir: 

 

DOZE ASPECTOS FUNDAMENTAIS DO TRATAMENTO PARA MULHERES

  • Mulheres dependentes químicas sofrem intensos estigmas sociais, que decorre muitas vezes da noção incorreta de que elas sejam mais promiscuas e sexualmente disponíveis. Este estigma faz com que muitas tenham vergonha de admitir o problema e procurar o tratamento correto. Alem disso, muitos profissionais de saúde também não se sentem a vontade em perguntar sobre o uso de álcool/drogas para mulheres, o que retarda o diagnostico e adequado encaminhamento.
  • As mulheres ainda enfrentam outras barreiras na busca por tratamento, tais como: não ter com quem deixar os filhos e medo de perder a guarda dos filhos se admitirem que tem um problema de álcool/drogas.
  • A alta prevalência de transtornos psiquiátricos em mulheres dependentes químicas exige cuidadosa avaliação medica psiquiátrica. O profissional deve determinar qual o problema ocorreu antes, porque um transtorno primário (mais freqüentemente o caso entre mulheres) dificilmente melhorara somente com a abstinência e o uso de medicação especifica pode ser necessário. Alem disso, a avaliação apropriada das comorbidades psiquiátricas.
  • Uma vez que tentativas de suicídio são especialmente comuns entre mulheres dependentes químicas, particular atenção deve ser dada a esse aspecto quando da avaliação inicial do paciente.
  • Mulheres dependentes químicas relatam com maior freqüência comportamentos sexuais de risco. Assim, uma revisão completa do estado físico, com especial atenção para fatores de risco para o HIV pode ser necessário.
  • o abuso de álcool/drogas pode funcionar como forma de controlar o peso para muitas mulheres. Alem de investigar ativamente a existência de transtornos alimentares.
  • o uso de álcool/drogas entre mulheres sofre maior influencia dos companheiros e da família do que os homens. Portanto é importante perguntar sobre problemas relacionados a álcool/drogas na família do paciente. Elas terão maior chance de recaída se o ambiente familiar/social problemático permanecer o mesmo.
  • É importante perguntar sobre o abuso sexual e/ou físico. Mulheres que estejam passando por esses problemas precisam primeiro encontrar um lugar seguro para morar ou o tratamento dificilmente será bem sucedido.
  • Outro passo importante é encorajar a participação da família no tratamento, uma vez que a família é mais profundamente afetada quando a mulher tem um problema de dependência química. Eventualmente, será necessária terapia familiar. Alem disso, mães, particularmente mães solteiras podem ter dificuldade em conciliar trabalho e cuidado com os filhos, o que representa um desafio em sua recuperação.
  • A gestação é um momento particularmente importante. Neste período, as mulheres encontram-se mais motivadas para o tratamento, cujos ganhos se mantém mesmo quando a criança já nasceu.
  • Muitas mulheres acham mais fáceis falar sobre problemas sexuais e outros quando não há homens no grupo,importância das terapias individuais, baseadas no tipo de substancia, faixa etária, educação, estado civil, dentre outros aspectos. O ideal seria oferecer os dois tipos de tratamento: grupo misto e grupo só de mulheres.
  • para saber mais,entre em contato estamos a disposição…

Consultores:

(019)38712721  / (019) 7817-8014 (011) 9670 2923(19)7817-9291(19)83026060

E-mailpesquisas sobre tratamentos para dependentes quimicos/<a href="http://www.monterey.org.br&quot; title="pesquisas/fonte/http://www.na-pt.org.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: